Acervo

Guias dos Arquivos

É composto por textos, livros, vídeos, fotografias, fitas sonoras, quadros, gravuras e objetos

Formado por documentos de diferentes gêneros (textuais, iconográficos, sonoros, audiovisuais e tridimensionais), o acervo Presidente Fernando Henrique Cardoso reúne os arquivos de FHC e de três membros de sua família: Ruth Cardoso, Joaquim Ignacio Baptista Cardoso (avô) e Leônidas Cardoso (pai), além da biblioteca do casal.  De acordo com a  legislação arquivística brasileira, os acervos presidenciais, embora privados, são considerados de “interesse público” e seus detentores devem preservá-los e torná-los acessíveis. 

O conjunto dos documentos do Arquivo Fernando Henrique Cardoso (1931-) reflete o ambiente familiar no qual se formou o titular, os estudos realizados, as atividades que desenvolveu, tanto no plano acadêmico (como sociólogo, pesquisador e professor universitário) quanto no âmbito da política, como senador, senador constituinte, ministro das Relações Exteriores, ministro da Fazenda e presidente da República. 

 Os documentos do  Arquivo Ruth Cardoso (1930-2008) evocam suas atividades como antropóloga, professora universitária, primeira-dama da República e presidente, ao longo de oito anos, do Conselho do Programa “Comunidade Solidária”, além de retratarem aspectos de sua vida social e familiar.

Os documentos do Arquivo Joaquim Ignacio Baptista Cardoso (1860-1924), avô de FHC, testemunham a participação do seu titular na proclamação da República (1889) e em outros episódios da história brasileira, como a Revolta da Armada (1893-1894), a Revolução Federalista (1893-1895) e o movimento Tenentista (1922-1924). 

                            Ao centro, Joaquim Ignacio; Leônidas Cardoso (o segundo, da direita para a esquerda), 1911

O Arquivo Leônidas Cardoso (1889-1965) recebeu um primeiro tratamento de higienização e o reconhecimento sumário dos documentos acumulados pelo titular quando deputado federal pelo PTB, entre 1955 e 1959. 

Os livros e periódicos reunidos na Biblioteca “Fernando Henrique e Ruth Cardoso” representam os temas de que se ocuparam, ao longo do tempo, na condição de cientistas sociais. Indicam igualmente outras áreas de interesse do casal, como literatura e arte. Embora inúmeras obras sejam recebidas pelo presidente da República em exercício, foram conservadas apenas as que correspondem ao perfil intelectual e político de seus fundadores.

A Fundação custodia também dois conjuntos documentais de participantes dos governos FHC. O Arquivo Paulo Renato Souza, doado em 2014, reflete a sua trajetória profissional; receberá tratamento técnico prioritário, no entanto, o conjunto relativo à sua experiência no Ministério da Educação. Os documentos do Arquivo Sergio Motta, recebidos em doação em 2013, correspondem ao período em que foi ministro das Comunicações, de janeiro de 1995 até seu falecimento, em abril de 1998.

 

Os princípios que orientam a preservação, a descrição, o acesso e a divulgação dos arquivos foram definidos no início do tratamento. A preservação dos documentos segue rigorosos critérios metodológicos no que se refere a instalações físicas, organização espacial, descrição em banco de dados específico e manutenção preventiva para garantir a conservação. Além das salas dedicadas ao tratamento técnico, foram adaptados dois subsolos para abrigar os arquivos em um espaço monitorado, com vistas ao controle ambiental (temperatura, umidade relativa e luminosidade).

No processo de descrição, optou-se por uma abordagem individualizada dos documentos. Os critérios universais de acesso e classificação adotados preservam a organicidade deles, ligando-os às atividades que lhes deram origem de modo a demarcar as circunstâncias e o contexto que justificaram sua acumulação e guarda.

CONSULTA

Consulte o Portal do Acervo.